sexta-feira, 9 de abril de 2010





Se fores ao Alentejo,

ante a beleza infinita

tranquila, clara, bendita

sem querer vais semear,

do teu olhar comovido

lágrimas no fértil solo

a semente do teu beijo

se fará meigo trigal

e num belo madrigal

o desejo do teu olhar.

se elevará rumo ao sol

quando sonha o rouxinol.



Aires Plácido & Maria Petronilho

10/6/2007

Sem comentários:

Enviar um comentário